top of page
  • Foto do escritorirenegenecco

Poema Inquietante

Atualizado: 31 de dez. de 2023


Poemiso o que já é poetizado em quadro meus sem tidos

palavras que escorrem sumo dos meus dedos

sumindo espremes o meu sangue doce dulce viento de mi penedo

meu violão viola teu silêncio tens que pôr um ponto onde ponto não!

Quero me derramar desafivelei meus botões inox...

Mas mais embaixo tinha fecho éclair mulher porta fechada

boca escancarada negra boca zipada et bien que miséreux

avec le ventre creux nous ne cessions d'y croire*.

La boheme que me compadezco não me compadece miséria alheia

feias esquinas homens bêbados rasgadas mulheres violentadas

violent'aids niños chupam fumaça verde pedra negra que te rasga me rasga

apedreja-me mulher adúltera jogo cinzas me saco el pelo

mulheres que choram nos funerais quero violentar-te alma de pedra

para que humana sejas ergo sum cachorro sarnento que abana o rabo

mis manos Mercedes bens peles brilhantes carteira gorda

parteira que me pare si vil is ação puta que pariu maré vermelha

plânctons verdes algas azuis de raiva quaresmas roxas

jejum me lava a alma fome que não tenho.


(*et bien que miséreux avec le ventre creux nous ne cessions d'y croire - e embora miseráveis, com a barriga oca, não deixamos de acreditar


Comments

Rated 0 out of 5 stars.
No ratings yet

Add a rating
bottom of page