top of page
  • Foto do escritorirenegenecco

Gota Lúcida

Atualizado: 3 de jan.


Foto de Mayank Dhanawade na Unsplash

De repente tudo era lúcido.

O asfalto sob o sol o cão na coleira

a mão do menino o velho trôpego

a faixa de segurança o céu lúcido azul bebê

entardecendo sobre todas as coisas.

Era lúcido o banco mudo e seco

e eu lúcida esparramada nele à espera.

Eram lúcidos os carrinhos do supermercado

abandonados vazios e o ponto de taxi

os taxis e os taxistas... era lúcido o sopro

nas palmeiras da praça e as palmeiras

e todo o verde.

Lúcida a cruz na torre azul das Graças

em meio aos telhados sobrados e prédios

eretos em sólido concreto.

Era lúcida a ambulância cor branca sirene

e lúcidos os enfermeiros e a seringa translúcida

e lúcidas minhas veias.

Levaram-na trôpega mórbida tarde

trânsito caótico panóptico sorrateiro

púlpito derradeiro fim lúcido

desde sempre e para sempre lúcido.


Comments

Rated 0 out of 5 stars.
No ratings yet

Add a rating
bottom of page