top of page
  • Foto do escritorirenegenecco

Diálogo

Atualizado: 19 de nov. de 2023


Foto de Nathan Dumlao na Unsplash

Preciso falar do arranhão

que me deforma o ser

e gritar a dor de ir lá embaixo.

Pobres músculos,

meus nervos não são de aço!

Parem de acordar o monstro,

pesada massa que em mim dormita,

apenas o seu bocejo

estremece os alicerces.

Pra mim chega dormir placidamente,

engordar tranquilamente,

entupir os poros de preguiça.

O fio do pensamento me corta ao meio,

atora a unidade,

e mutilado brinco de equilíbrio.

Tecidos rompidos,

sangue brotando da dor

de não saber gritar,

falo, porque é um consolo

saber que me ouves

da tua poça de lágrimas.



Comments

Rated 0 out of 5 stars.
No ratings yet

Add a rating
bottom of page